sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

AGENDA DO PREGADOR - AG 03: CATEDRAL DAS ASS DEUS MADUREIRA - BALEIA

Na próxima terça-feira, dia 21 de fevereiro de 2017, às 19h30min, o Pastor Carlos Valente terá, pela segunda vez, a grande honra de ministrar a preciosíssima Palavra de Deus na Catedral das Assembleias de Deus - Ministério Madureira - em Brasília / DF, a convite do Reverendo Pastor João Adair, Presidente daquele grande Campo. A linda Igreja é a Sede Nacional da Convenção das Assembleias de Deus - Ministério Madureira.

A Catedral, também chamada coloquialmente de "Baleia" pela sua arrojada arquitetura, fica na 910 Sul, no Plano Piloto de Brasília. Todos estão convidados.

AGENDA DO PREGADOR - AG 02: ASS DEUS SANTA MARIA NORTE/DF

No próximo dia 19 de fevereiro, domingo, o Pastor Carlos Valente estará ministrando a preciosa Palavra de Deus na Assembleia de Deus de Santa Maria Norte/DF, sita na Quadra 317, Conjunto K, Lote 21. Convite do amigo Pastor Eliezer Lins, dirigente local. Vai ser bênção!

domingo, 5 de fevereiro de 2017

MENSAGEM 02: A FRIEZA DESTE SÉCULO



A FRIEZA DESTE SÉCULO

Texto Base: Mt 24.12, 13 –“ E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.  Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo”.

TESE:
- Jesus ensinou muitas coisas a respeito da sua volta e do arrebatamento da Igreja, e Mateus, um dos 12 Apóstolos, as registrou em seu Evangelho.
- Jesus enumerou os sinais que antecederiam a sua vinda nos ares.
- Sinais na natureza, como terremotos; e catástrofes globais, como fomes, pestes, guerras e rumores de guerras.
- Dentre os sinais da volta de Jesus, estão dois fenômenos comportamentais interligados entre si.
- Interligados porque um produz o outro, e um deriva do outro.
- E nós lemos esses dois fenômenos ao introduzir esta mensagem: "por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará".
- A multiplicação da iniquidade e o arrefecimento do amor estão aí, cumprindo-se em nossos dias.
- E eu honestamente não sei qual dos dois é o pior; honestamente não sei qual é o mais grave.

DESENVOLVIMENTO:
1. A MULTIPLICAÇÃO DA INIQUIDADE
- Estamos vendo a corrupção do gênero humano (Mamom tem mais adeptos do que Deus).
- Total inversão de valores (O que a Bíblia diz que está certo, o homem diz que está errado; e vice-versa). Deus disse: “certamente morrereis”; a serpente: "certamente não morrereis".
- Licenciosidade sexual (Homem com homem; mulher com mulher; sexo antes e fora do casamento; perversões).
- Sensualidade. (anúncio de cerveja: mulher nua; de veículo: mulher nua; de carnaval: mulher nua).
- Basta ligar a TV. Ver uma novela. Assistir um jornal.
- A iniquidade se multiplica de forma exponencial em nossos dias.
- Como nos dias de Noé (Gn 6.5) – “E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra”.
- Como nos dias de Sodoma e Gomorra (Gn 18.20) – “Disse o Senhor: O clamor de Sodoma e Gomorra tem se multiplicado, e o seu pecado tem se agravado muito”.
- Assim como o Dilúvio e a chuva de fogo e enxofre, Deus vai mandar um evento terminal aí.

2. O ESFRIAMENTO DO AMOR
- A iniquidade atinge níveis perturbadores.
- E o amor? Níveis baixíssimos.

A) AMOR DE UNS PARA COM OS OUTROS
- As pessoas não se amam mais. Os relacionamentos são baseados em interesses.
- O “ter” passou a ser mais valorizado do que o “ser”.
- Não estamos cumprindo o mandamento do Senhor Jesus: “Amai-vos uns aos outros, assim como Eu vos amei”.
- As pessoas estão valorizando mais um animal de estimação do que um ser humano.
- As pessoas estão valorizando mais o relacionamento virtual do que o relacionamento real.

B) AMOR PARA COM DEUS
- As pessoas deste presente século não querem saber de Deus.
- Não o buscam, a não ser que precisem dele.
# Deus tem sido feito de “extintor de incêndios”.
- Nunca se blasfemou tanto do nome de Deus.
- As pessoas neste mundo acham o Evangelho algo chato, antiquado, sem graça, um Evangelho enfadonho.
- E até muitos crentes estão frios neste século.
- Muito me incomoda a frieza dos crentes neste século. Caiu um desânimo nas igrejas.
- Crescemos em número, mas perdemos em relevância. Crescemos em quantidade, mas caímos em qualidade.
# Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? (Mt 5.13)
- Perdemos o primeiro amor?
- Tenho visto Igrejas céticas, mundanas, terrenas.
- Cadê o lenço? Cadê as lágrimas? Cadê as glórias? Cadê o barulho? Cadê os louvores? Cadê o levantar de mãos?
- Cadê as profecias? Cadê as línguas de fogo? Cadê o fogo?
- O amor esfriou?
- A noiva não ama mais o noivo como antes?
# Igrejas frias, vidas vazias, vivendo de encontros sociais;
Chegando a dizer até que o poder foi para os tempos atrás.
- Neste século, galgamos espaço na mídia, espaço na política, espaço na economia, mas deixamos de fazer a diferença.
# Há uma série de personalidades na mídia e na política que se dizem crentes que eu teria vergonha de dar a “Paz do Senhor”. Eles envergonham o Evangelho de Cristo.
- Além disso, há uma série de invenções. Inovações. Heresias.
- O culto virou um espetáculo, onde alguns artistas se apresentam e outros apenas assistem.
- O que diriam Gunnar Vingren e Daniel Berg ao entrarem numa Assembleia de Deus nos presentes dias?
- O que diria Paulo, ao ver a irreverência dos nossos crentes, até mesmo durante o culto, dispersos, enfadados, calados, omissos?
- O que diz Jesus ao receber o nosso Culto hoje? Logo Ele, que deu o seu melhor para nós. Estamos dando o melhor para Ele?

3. QUEM PERSEVERAR ATÉ AO FIM SERÁ SALVO
- Se o versículo 12, que nós lemos, é uma profecia que está se cumprindo neste século: a multiplicação da iniquidade e o esfriamento do amor.
- Se o versículo 12 é algo duro para a humanidade e especialmente para os crentes do presente século.
- O versículo 13 é um renascer da esperança: “Jesus diz que os que perseverarem até ao fim serão salvos”.
- Há um remanescente diante da frieza espiritual deste século.
- Como nos tempos de Elias, ainda há 7.000 que não dobraram seus joelhos diante de Baal.
- Como nos tempos de Daniel, ainda há aqueles que decidiram não participar do manjar do rei de Babilônia.
- Eu quero ver aqueles que ainda estão dispostos a quebrarem seu vaso de alabastro para ungir Jesus com unguento de nardo precioso e caro.
- Eu quero ver aqueles que ainda estão dispostos a lavarem os pés de Jesus com lágrimas e enxugarem com seus cabelos.
- Eu quero ver os remanescentes que vão perseverar até ao fim.
- Cadê você que ainda glorifica?
- Cadê você que ainda chora na presença de Jesus?
- “Que fazes aqui, Elias?” Profeta, o que fazes na caverna?
- Cadê as profecias? - Cadê as línguas de fogo?
- Cadê o fogo?
- Cadê você, remanescente do Pentecostes? Cadê você? Tem aqui? Manifeste-se aí.

CONCLUSÃO
- Outra notícia boa disso tudo é que, se as profecias estão se cumprindo, isto quer dizer que Jesus está voltando.
- E quando Ele voltar, toda a dor terá fim. Toda a mágoa. Toda a tristeza. Toda a doença. Toda a morte.
- A frieza e a irreverência deste século vão ficar para trás.
- E a Igreja do Senhor, os remanescentes da Cruz serão transformados num abrir e fechar de olhos.
- Nesse dia, os remanescentes de Cristo vão dizer: Valeu a pena guardar a santidade. Valeu a pena evitar o manjar do rei. Valeu a pena esperar em Cristo.
- Está escrito: “Quem perseverar até o fim será salvo”.

CONVITE
- Você que quer fazer a diferença neste século. Você que é um remanescente de Cristo e quer perseverar para ser salvo.
- Venha aqui à frente que eu quero orar por você.
 

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

AGENDA DO PREGADOR - AG 01: CATEDRAL DAS ASS DEUS MADUREIRA - BALEIA


No próximo domingo, dia 05 de fevereiro de 2017, às 18 horas, o Pastor Carlos Valente estará ministrando a preciosíssima Palavra de Deus na Santa Ceia da Catedral das Assembleias de Deus - Ministério Madureira - em Brasília / DF, a convite do ilustre Pastor João Adair, Presidente daquele grande Campo.

Essa belíssima Igreja é a Sede Nacional da Convenção das Assembleias de Deus - Ministério Madureira, e será uma grande honra para o Pastor Carlos Valente ministrar naquele templo, ainda mais em noite de Santa Ceia.

A Catedral, também chamada coloquialmente de "Baleia" pela sua arrojada arquitetura, fica na 910 Sul, no Plano Piloto de Brasília. Todos estão convidados.

Que o Senhor Nosso Deus o abençoe mais uma vez.

domingo, 29 de janeiro de 2017

MENSAGEM 01: A SANTA CEIA DO SENHOR



A SANTA CEIA DO SENHOR

Texto Base: I Coríntios 11.23-30


TESE:
- Três dos quatro Evangelhos narram, de forma semelhante, a Instituição da Santa Ceia, por nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 26.17-30; Mc 14.12-26; Lc 22.7-23).
- Na verdade, o Evangelho de João também relata aquele evento marcante, utilizando cinco capítulos (Jo 13-17), mas sob uma narrativa peculiar.
- Foi num cenáculo mobiliado, emprestado por um homem, que Jesus comeu, com seus discípulos, a sua última Páscoa, na véspera da sua morte.
- Ou seja, a partir daquela Santa Ceia o que se viu foi traição, perseguição, sofrimento e morte.
- Aquele espetacular encontro foi, ao mesmo tempo, a Última Páscoa e a Primeira Santa Ceia.
- Apesar dos Evangelhos descreverem pormenorizadamente as cenas da instituição da 1ª Santa Ceia, é o Apóstolo Paulo, escrevendo aos Coríntios, que nos traz um belo resumo desse evento e dessa instituição (I Co 11.23-32).
- Com base nos escritos de Paulo, que a maioria das Igrejas leem nas suas Santas Ceias, vamos analisar algumas características dessa instituição fundamental à fé cristã.

DESENVOLVIMENTO:

1 – UM MEMORIAL
“fazei isto em memória de mim” (I Co 11.24b, 25b)
- Jesus repete a mesma advertência, tanto no versículo 24 quanto no versículo 25: “fazei isto em memória de mim”.
- Ou seja, a Santa Ceia é um Memorial (do grego anamnesis), isto é, um evento realizado para lembrar, para não deixar esquecer.
- Para lembrar e não deixar esquecer o que? O próprio texto responde claramente: “de mim”.
- É um cerimonial, uma solenidade, para lembrarmos do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o que fez por nós, o que nos proporciona, e o que virá a ocorrer.
- Um memorial que aponta para o passado, para o presente e para o futuro.

A – UM MEMORIAL PARA O PASSADO
“isto é o meu corpo que é partido por vós” (I Co 11.24)
- Esse memorial nos aponta para o passado. Para um dia há quase dois mil anos.
- Esse memorial aponta para o sacrifício vicário de Cristo, o dia em que Ele deu a sua própria vida em resgate de muitos.
- A Santa Ceia é um memorial que aponta para a morte de Jesus, mas, por mais paradoxal que possa parecer, não se trata de um memorial triste.
- Mas um memorial de amor. Onde nos lembramos o grande amor de Deus pela humanidade, ao ponto de dar seu Filho unigênito para morrer por amor de todos nós (Jo 3.16).
- Ao participarmos da Santa Ceia do Senhor, devemos, reverentemente, lembrarmo-nos do sacrifício de Cristo. A dor que sentiu. As blasfêmias, as injúrias que ouviu calado para nos salvar.
- Ao participarmos da Santa Ceia do Senhor, devemos olhar para o passado e vermos a mais linda declaração de amor já feita por alguém.
- Devemos nos lembrar as cusparadas, a condenação, a humilhação, a escolha de Barrabás, o peso da cruz, os cravos, a coroa de espinho, e o escárnio do povo.
- A Santa Ceia foi criada por Cristo para que não esqueçamos que Ele fez tudo isso por nós. E para nos sentirmos valorizados por isso: o seu corpo foi partido por nós.

B – UM MEMORIAL PARA O PRESENTE
“Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue” (I Co 11.25)
- Ao falar “novo testamento no meu sangue”, Jesus nos traz à lembrança que a sua morte na cruz do calvário, reescreve, de uma vez por todas, o relacionamento de Deus com a humanidade.
- Tudo novo se fez. As coisas velhas já se passaram.
- Vivemos sob as égides de um novo testamento, um novo concerto, uma nova aliança. O véu do templo se rasgou, de alto a baixo.
- Um Novo testamento (do grego kaine diatheke) centrado na graça e não na lei; centrado no perdão e não no “olho-por-olho”.
- Um novo testamento selado com seu próprio sangue.
- Um novo concerto mais amplo, que expande o antigo concerto:
            - Não mais só um povo, mas toda a humanidade;
            - Não mais cobrindo o pecado, mas apagando o pecado;
            - Não mais necessário renovar, mas eterno.
- Ao participarmos da Santa Ceia do Senhor, desfrutamos dessa nova aliança. Uma aliança alicerçada no amor de Cristo.
- Por isso, a Santa Ceia faz-nos lembrar que, no presente, somos livres para amar a Deus e nossos irmãos em Cristo.
- A Santa Ceia é um evento de Comunhão (do grego koinonia); por Cristo fomos alcançados.
- E Ele está presente. E Ele é o anfitrião. Desfrutemos da Sua presença nesta noite.

C – UM MEMORIAL PARA O FUTURO
“Anunciais a morte do Senhor, até que venha” (I Co 11.26)
- Além de apontar para o passado (a morte vicária de Jesus Cristo na Cruz do Calvário) e de apontar para o presente (o novo testamento no seu sangue), o Memorial da Santa Ceia também aponta para o futuro.
- Quando nos reunimos para cear, temos em memória que o nosso Senhor vai voltar para nos buscar (Jo 14).
- A Santa Ceia do Senhor é a prévia do gozo que vamos sentir na glória, na presença real do nosso Senhor nas bodas do Cordeiro.
- Ele vem. Ele breve vem. E não devemos nos esquecer disso.
- Ele nunca descumpriu qualquer promessa e essa, a principal, também será cumprida.

2 – UM MEMORIAL PARA SANTOS (I Co 11.27-30)
- Assim como a 1ª Santa Ceia foi um evento fechado para os 12 apóstolos, Paulo deixa bem claro ao falar sobre a instituição da Santa Ceia do Senhor que nem todos estão aptos a participarem desse cerimonial.
- Não se pode comer indignamente (I Co 11.27).
- Quem são esses? Aqueles que não discernem o corpo do Senhor (I Co 11.29). Aqueles que estão em pecado. Aqueles que não perdoam seu irmão. Aqueles que envergonham o Evangelho.
- O que acontecerá a esses? a) serão culpados do corpo e do sangue do Senhor (vv 27); b) Come e bebe para sua própria condenação (vv 29); c) por causa disso há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem (vv 30).
- Esse memorial é um memorial para santos que estão em comunhão com Cristo e com a Igreja de Cristo.
- Por isso Paulo recomenda expressamente: “examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice (vv 28).
- A Santa Ceia é também um momento para um auto-exame.
# Auto-exame dos seios.
- Atenção: a si mesmo. Ninguém está autorizado a examinar os outros.
- Como está sua vida diante de Deus? Como está sua vida diante dos homens? Como está sua vida diante da sua família?
- Se está em paz, participe com alegria desse Memorial.
- Se algo te condena, peça perdão a Deus agora. E ele te perdoa.

CONCLUSÃO:
- Amados irmãos, a Santa Ceia do Senhor não é um evento qualquer.
- É uma instituição criada por Cristo para memória dele, no passado, no presente e no futuro.
- Façamos isso, reverentemente, agora.
 

domingo, 11 de dezembro de 2016

FOTO - AD SANTOS DUMONT

Pregando hoje (11/12) na Assembléia de Deus do Condomínio Santos Dumont, em Brasília, a convite do Pastor local Divino Barrozo. Foi bênção!!

domingo, 4 de dezembro de 2016

MENSAGEM 16: A LEI DA SEMEADURA NA FAMÍLIA



A LEI DA SEMEADURA NA FAMÍLIA

Texto Base: Gl 6.7 – “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará”.

TESE:
- Nestes últimos tempos temos observado que muitas famílias, inclusive cristãs, passam por gravíssimas dificuldades:
a) Emocionais - Famílias que não se sentem felizes no lar; não se amam mais; depressivas; cansadas; feridas; tristes.
b) Financeiras - Famílias que não conseguem equilibrar a economia doméstica; sempre devendo; sempre com dificuldades para pagar as contas; com o cheque especial estourado; pagando o mínimo do cartão de crédito.
c) Espirituais - Famílias que não oram mais; que não jejuam mais; que não tem mais prazer em ir à Igreja; estão desviados (fora ou dentro da Igreja).
d) De relacionamento - Famílias que não se comunicam mais, que não se respeitam mais; casais que se odeiam; filhos contra pais; pais contra filhos; filhos rebeldes; pais omissos.
- E ao nos depararmos com essa situação, refletimos para buscar as causas dessas dificuldades enfrentadas pelas famílias.
- Qual seria o motivo para tantas famílias problemáticas?
- Seria muito simples culpar o diabo. Sim, ele é mau. Ele veio para matar, roubar e destruir. Ele é culpado mesmo...
- Mas nem tudo de ruim é culpa exclusiva do diabo.
- Muitas vezes, a culpa pelas dificuldades da nossa família também é nossa. Muitas vezes o diabo nem precisa fazer nada para destruir as famílias. Nós mesmos nos encarregamos disso.

DESENVOLVIMENTO:
- Ainda refletindo sobre isso, pedi a Deus uma resposta.
- Penso que, se achamos a causa dos problemas, logo teremos maiores condições para combatê-los.
- E foi aí que Deus me mostrou a Lei da Semeadura e da Colheita, que lemos ao introduzir esta mensagem.
- Paulo ensina que “tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7b).
- Essa lei, que vale para a agricultura, é válida para diversos outros sentidos da vida, e também é válida para as famílias.



1. A ESCOLHA DA SEMENTE
- No âmbito espiritual e familiar, cabe a nós escolhermos a semente que iremos semear.
- Nós temos todas as sementes à nossa disposição.
- Podemos semear o bem, a paz, o diálogo, a mansidão, a pureza, o amor, o carinho.
- Mas também podemos semear o mal, a discórdia, a indiferença, a brutalidade, a malícia, o ódio, a repulsa.
- Paulo ensina que quem semeia na carne, colherá corrupção; e que quem semeia no Espírito, colherá a vida eterna.
- E alguém pode me dizer que também podemos nos negar a semear. É verdade! Mas quem se nega a semear também semeia: a omissão, que é uma péssima semente para a família.
# Quais são as sementes que temos semeado na nossa família? Temos escolhido boas sementes?

2. A INEVITÁVEL COLHEITA
- A escolha da semente é nossa; mas a colheita já não será mais escolha nossa. Ela refletirá exatamente aquilo que semeamos.
- Se plantei semente de maçã; inevitavelmente irei colher maçãs; se plantei semente de uva; inevitavelmente irei colher uvas.
- Se plantei muito, colherei muito; se pouco, colherei pouco.
- Se não estou contente com a minha colheita, preciso verificar o que estou plantando.
# Se não estou satisfeito com a minha família, preciso refletir quais foram as ações que a levaram a esse estado.
## Quanto do meu tempo tenho dedicado à minha família?
## Tenho amado minha esposa? Ou tenho sido mais equino do que qualquer cavalo?
## Tenho educado os meus filhos? Ou terceirizei essa função?
## Quem semeia... colhe...
            a) atenção... respeito // desprezo... rebeldia;
            b) carinho... amor // violência... ódio;
            c) estudo... sabedoria // preguiça... pobreza;

3. P/ UMA BOA COLHEITA, NÃO BASTA SÓ PLANTAR
- Vale para a agricultura, vale para a vida, e vale para a família.
- Colher os melhores frutos dá trabalho. Via de regra, o sucesso dá trabalho, não chega de “mão-beijada”.
- Não basta só plantar as boas sementes, as melhores sementes.
- É necessário:
a) Cuidar – São diversos os destruidores das sementes; a Parábola do Semeador nos relata alguns deles: os passarinhos; as pedras; e os espinhos. Passarinho é aquilo que devora a semente; Pedra é aquilo que impede a semente de se aprofundar na terra; Espinho é aquilo que sufoca a semente. Por isso, precisamos cuidar atentamente da semente para que germine e cresça.
# Precisamos estar atentos aos sinais do nosso matrimônio; ver se tem passarinho, ver se tem pedra; ver se tem espinho; precisamos estar atentos aos sinais dos nossos filhos. O menino está perdido, todo mundo vê, mas os pais não veem. O menino está nas drogas, todo mundo sabe, mas os pais não sabem; O menino é gay, os sinais estão na cara; mas os pais estão cegos. Fiquem atentos.
b) Regar – A semente precisa ser regada para crescer com saúde.
# A família precisa ser regada. O casamento precisa ser regado. Os filhos precisam ser regados. Uma palavra, um diálogo; uma bronca; uma atenção; um presente; um passeio; amor.
## Às vezes, o marido não sabe porque a esposa não está romântica com ele. É porque ele não rega. A semente está seca.
c) Limpar – Precisamos limpar nossa plantação. Contra as ervas-daninhas que querem sugar e destruir nossa planta. “Parasita, vai para outra família, porque na minha não tem lugar para você”.
# Precisamos identificar e retirar tudo o que prejudica a saúde da plantação. “Pecadinho” e “pecadão”. Programas, relacionamentos indevidos. Quanto antes limpar, menos feridas deixará.

4. OS SABOTADORES DA PLANTAÇÃO
- Mas você está aqui nesta noite e pode me dizer: “para mim essa mensagem não está servindo: semeei excelentes sementes, cuidei, reguei e limpei; ainda assim a minha família está problemática”.
- Nesse caso, há duas possibilidades: ou você está míope diante da sua própria situação (as sementes não foram boas de fato; na verdade, você não cuidou, nem regou, nem limpou corretamente); ou você é uma vítima dos sabotadores da plantação.
- Os sabotadores da plantação são aqueles que, na calada da noite, semeiam joio no meio do trigo; os sabotadores da plantação são emissários do mau para destruírem as famílias.
- Daí esta mensagem tem dupla intenção:
a) para casos de problemas na semeadura, ensinar a semear;
b) para casos de sabotagem na plantação, guerrear.
- Sabotagem da família é um trabalho de feitiçaria para destruir o casamento;
- Sabotagem da família é inveja e “olho-grande” para trazerem discórdias no lar;
- Para combatê-los, só orando e jejuando. E essa campanha tem esse objetivo. Nós vamos unir as nossas forças contra os sabotadores da família.

CONCLUSÃO
- Nesta noite, aprendemos a importância de semear coisas boas na nossa família. Quem sabe se hoje iniciamos uma nova história para a nossa família.
- E também identificamos os sabotadores da família. Contra esses, vamos orar.

CONVITE
- Fique ao lado da sua família que vamos orar por ela.